baiobit™

 

ARTIGO EDUCACIONAL

Comparação do desempenho do salto vertical de jogadores masculinos de handebol e basquetebol

Autor: Dr. Daniele Maremmani

Neste estudo, jovens atletas de basquetebol e andebol foram avaliados no desempenho do salto vertical usando o protocolo de avaliação desenvolvido por Bosco em 1983 e por Mchuigan em 2006.

Os resultados do estudo mostraram que os atletas de basquetebol tiveram um melhor desempenho do que os atletas de andebol em todos os parâmetros avaliados, particularmente no tempo passado no ar tanto durante o Salto de Agachamento (SA), como durante o Salto de Contra-Movimento (SCM) e na altura atingida, tanto com o SA como com o SCM.

Estes dados permitiram compreender como os atletas de basquetebol eram capazes de expressar não só uma maior força muscular do que os atletas de andebol, mas também uma maior potência muscular: de facto, a Razão de Utilização Excêntrica é calculada a partir da relação entre os valores do SCM e os valores do SA, e permite quantificar a capacidade do atleta de utilizar a energia elástica armazenada durante o salto de contra-movimento como um valor acrescentado no desenvolvimento da potência muscular no salto vertical. Por esta razão, o valor do SCM deve ser sempre superior ao valor do SA, um agachamento rápido (ou seja, contra-moção). Ao carregar rapidamente os músculos das pernas, tronco e braços com energia elástica, aumenta a capacidade do atleta de expressar força e potência mais de 10% em comparação com um salto sem contra-moção, portanto sem geração de resposta elástica. Se os valores forem muito semelhantes entre si, o atleta tem uma falta de força muscular que deve ser desenvolvida através de programas de treino baseados em exercícios pliométricos e de força explosiva; inversamente, se os valores forem muito distantes uns dos outros, com um valor do SCM muito superior ao do SA, o atleta tem uma falta de força muscular que deve ser desenvolvida através de programas de treino baseados na hipertrofia e exercícios de força máxima.

Graças ao sensor baiobit™, o terapeuta pode avaliar e medir com muita precisão muitos valores sobre o Salto de Agachamento e o Salto de Contra-Movimento: além da altura máxima atingida, permite medir a força máxima expressa, a velocidade máxima atingida e muitos outros valores interessantes. Ao compara dados, o fisioterapeuta é capaz de conhecer dados sensíveis fundamentais para a gestão da recuperação pós lesão e para a decisão de voltar ao desporto, podendo compreender se o atleta é capaz de utilizar eficazmente a força muscular durante o SCM ou se desenvolve muita força muscular no SA com um défice de controlo da energia elástica. Finalmente, graças a medidas contínuas de inércia, é possível medir com eficácia e precisão os graus de inclinação pélvica, obliquidade pélvica e rotação pélvica, tanto na descolagem como na aterragem. Estes dados são essenciais para estabelecer um programa de prevenção personalizado, tanto para evitar recaídas, como para evitar lesões a um atleta saudável.

Referência:

Singh, Baljinder & Kumar, Ashok & Ranga, M… (2014).

“Comparação do Desempenho de Salto Vertical dos Jogadores Masculinos de Andebol & Basquetebol”. Journal of Exercise Science and Physiotherapy”.

  1. 64. 10.18376//2014/v10i1/67502

Giugno 2014 – Journal of Exercise Science & Physiotherapy 10(1):64. Singh, Baljinder, Kumar, Ashok e Ranga, M.D.

 

CONTACTE-NOS

SAUSPORT

NEWSLETTER

Subscreva a nossa newsletter.

 
[]
×
×
INTRODUZA O SEU EMAIL PARA ADICIONAR AO CARRINHO

Não obrigado! Adicionar ao Carrinho *Ao colocar o seu email aceita os termos e condições do nosso site